domingo, 15 de agosto de 2010

O Diário da Nossa Paixão I

Eu não planeei apaixonar-me por ti, e duvido de que tenhas planeado apaixonares-te por mim. Mas uma vez que nos encontrámos, ficou claro que nenhum de nós podia controlar o que nos estava a acontecer.

Gosto muito de ti, sabias? Muitos optam por escrevê-lo no final, usá-lo como desfecho. Mas, para mim... para nós, é apenas o começo. Podemos ter demorado a chegar até aqui e a perceber os sinais que nos eram enviados através dos olhares, a entender a cumplicidade dos sorrisos e a harmonia dos pensamentos. No entanto, a magia estava lá. O tempo na espera torna-se dócil e sereno. E, para nós, o tempo nunca foi uma barreira.

Ele beijou-a pela primeira vez e ficou a pensar porque é que havia esperado tanto tempo para o fazer.

A doçura do primeiro beijo aliada ao desejo há muito existente, que doce sensação. Deixar-me ficar no teu abraço enquanto me tocas os lábios com os teus, doce e levemente. Uma e outra vez, até que me perco nos teus beijos. Podíamos ficar sempre assim, esquecer o tempo e o espaço, tudo o que nos rodeia. E ficar assim. Sempre.

8 comentários:

márcia disse...

ADORO esse filme :)
lindo

Inês de Carvalho disse...

Adorei, simplesmente adorei :p
E as duas frases a completarem o texto, de um grande livro :D
Ahah (L)

joanabogalho disse...

ADORO, está lindo !

Miguel de Miguel disse...

não gosto do estilo do livro, mas que cenário tão bonito.

é o suficiente para devolver alguma coisa a quem deixou de esperar o que quer que seja. obrigado por isso :)

tenho um novo espaço, a adicionar à sala dos espelho. quando puderes e se puderes, visita :D

N. # disse...

Nunca tive oportunidade de ver este filme, mas dizem que é tão, mas tão romântico. E a isto é tão doce.
[e obrigado pelo comentário :)] *

Às de Copas disse...

está lindo, adorei *.*

márcia disse...

desculpa lá, aquilo é mentira.. ele nunca se deitou na minha cama, nem sequer entrou no meu quarto sarinha :D eheh

Liliana disse...

adorei *-*