domingo, 15 de fevereiro de 2009

ninguém é de ninguém.

Quando alguém nasce, nasce selvagem...

Não sou tua, nem de ninguém, sou livre... e livre continuarei. Pertenço-me a mim mesma, num mundo que é de todos e, ao mesmo tempo, de ninguém. Sou o resultado do que faço e penso, sinto e imagino. Sou a gota sem a qual os oceanos não seriam oceanos, o grão de areia sem o qual as praias não seriam praias, a lua sem a qual a noite não mais seria bela, e possível. Mas sou apenas minha, e de mais ninguém. Pertenço à força que me guia, às dúvidas que me invadem e aos sorrisos que esboço, pertenço-me. Porque, por muitas pessoas que por nós passem e em nós fiquem, nunca lhe pertenceremos... nem elas a nós. Somos uns dos outros mas, cada um pertence a si. E ninguém, mas mesmo ninguém, nos arranca de nós próprios, nunca.
...não é de ninguém!

7 comentários:

baby piggy disse...

Adorei o texto, grande verdade. Somos livres, pelo menos na parte do ser de alguém. *

Nunziuh disse...

Sara sarinha.. Somos livres. Não somos de ninguém. E mesmo assim somos de alguém ou de algo. :) É lindo não é?

Carolina Ferreira disse...

gostei do texto :) *

The Stone Angel disse...

Talvez seja o texto mais inteligente e bonito que li nos ultimos tempos. Completamente de acordo, nunca somos de ninguém, ás vezes até tenho medo de não sermos de nós próprios sequer. =) *

Joana... disse...

Sublinho as tuas palavras...

=)

**

Inês Neto disse...

Não pertencemos a ninguém a não ser a nós próprios e por vezes esquecemo-nos disso :$

(L)

catarina_zuka disse...

adorei (: