domingo, 1 de fevereiro de 2009

pensamentos congelados.

Devoro filmes numa tarde fria de domingo, digiro falas e desvendo finais, choro que nem uma madalena e rio-me até à exaustão. Há dias assim, frios. Mas espanta-me a frieza do tempo, não o tempo frio. Cansa-me que assim seja, e que assim tenha de ser. Doem-me os dias vazios, os rascunhos nunca enviados, as mensagens não recebidas. Ferem-me as incertezas, as lágrimas contidas e os segredos por desvendar. Até as super-mulheres têm as suas fraquezas. Apetece-me isto, quero aquilo, deixo p'ra lá, permaneço aqui, com os dedos quase imóveis no seu deslizar descontente sobre as teclas. De pensamentos semi-congelados, tento fazer o que melhor me sabe, escrever. Expimir-me até não poder mais, desculpem não consigo.
Talvez seja melhor refugiar-me nos filmes.

23 comentários:

inêsdecarvalho disse...

Por vezes é mesmo assim.. não conseguimos exprimir-nos..
estou aqui (L) sempre. amo-te

miguel m. disse...

e se fizessemos um filme juntos?

miguel m. disse...

prometo que sim.

Hugo Boss 009 disse...

e que tal dares tempo ao filme para acabar? apenas uma solução possível :)
Sarinha @

butterflycaught disse...

Eu eu à uns meses atrás também ficava com mais de vinte rascunhos no telemovel :x hesitava sempre e lá ficavam e à noite antes de adormeer fazia o meu último e depois chamava-me parva e apagava aquilo tudo. Era assim todos os dias, parecia uma rotina. Não-saudavel e não-agradavel. Os dias custavam-me a passar e o tempo já não me dizia nada. E sim, até as super-mulheres fraquejam de vez em quando mas quando voltam, voltam mais fortes que nunca. Isso garanto! ;)

Nunziuh disse...

Eu, infelizmente, sei como te sentes :x

disse...

Meu deus. Eu hoje estava tão assim.
Pus-me em frente ao painel do blogger, quadro em branco para escrever uma postagem. Mil e uma coisas para dizer, mil e um sentimentos e não saia nada. Sabia bem aquilo que queria dizer, mas e arranjar forma? Não me consigo exprimir.

São os rascunhos não enviados, as mensagens não recebidas, as cartas não dadas aos destinatários. É tudo isso. A mim ferem-me também esses dias vazios, fere-me só querer ficar a olhar para o nada e essa vontade que me consome. Fere-me ainda mais o facto de ter tanta coisa para fazer e nem me deixar ficar no vazio do dia, nem fazer o que tenho de fazer.

Lágrimas contidas e segredos por desvendar. Sentimentos por revelar, dúvidas para esclarecer. Estagnei no tempo até que tudo chegue ao seu destino final.

(não deveria isto ser a soma do meu post de hoje? :p)

Força, sabes que tens aqui alguém igual a ti :)

Inês Neto disse...

O pior são sempre as incertezas e as esperanças que depositamos nelas.
Esperamos sempre, mesmo quando sabemos que não há volta a dar, mesmo quando sabemos que o final do 'filme' já foi traçado, pois a esperança nunca se apaga completamente.

E é como dizes 'Até as super-mulheres têm as suas fraquezas' :$

Gosto mesmo de ti (L)

baby piggy disse...

São dias maus, mas e agora? Sentes-te melhor por teres escrito? *

baby piggy disse...

Oh sarinha... força :x *

Sugarcube ♥ disse...

Força meu amor, sempre que precisares, eu estou aqui. Os filmes ajudaram? :\ @

Joana... disse...

"Doem-me os dias vazios, os rascunhos nunca enviados, as mensagens não recebidas. Ferem-me as incertezas, as lágrimas contidas e os segredos por desvendar."

E com este pedacinho disseste tudo. E nao te esqueças que há dias assim...vazios e frios.

Beijinho**

memories disse...

está lindo !
até a foto está perfeita *_*

Pedro disse...

Simplesmente Lindo !

Adorei este texto...

Beijinho * * *

Daniela. disse...

Força, vais ver que é apenas um dia mau e tudo vai passar *

bruna'andrade disse...

"Até as super-mulheres têm as suas fraquezas." - só aqui, dizes tudo.
sarinha, gosto mesmo de ti :) (L)

frAgMenTUS disse...

um mimo p/ o teu blog, no meu :)
bj

Selenyum disse...

As vezes tb é preciso parar...

ลndreia disse...

Também estou farta destes dias vazios... *

Carolina Ferreira disse...

texto e photo lindos *-*
beijinho *

teresa. disse...

Assim tenho andado também. O passar do tempo dilacera-me, e parece que nada pode curar as feridas. O peso dos dias torna-se quase insuportável...
Mas há-de passar. Acaba por passar. É claro que, passar não significa curar definitivamente. Mas passar já é um alívio. (:

xCARLAx disse...

os filmes são sempre óptimos refugios. a foto está excelente*

AF disse...

por vezes mais vale escrever a falar, mais vale não acordar.