terça-feira, 27 de julho de 2010

#1 LETTER - BEST FRIEND

Querido P.



Podia passar horas a escrever sobre ti, mas não há nada como escrever para ti. Escrevo-te todos os dias... por vezes em voz baixa, calma e serena, outras vezes nem tanto. Há dias que tento escrever-te esta carta, nada do que possa escrever-te será alguma vez suficiente, nunca estará à altura do que és e mereces. Não te conheço desde sempre, não crescemos juntos nem fizemos castelos na areia em crianças. Não passámos a adolescência juntos nem partilhámos as primeiras borbulhas no rosto. Não acompanhaste os meus sonhos e eu não estive lá para te acordar dos pesadelos. Desculpa não ter chegado mais cedo. Aliás, eu cheguei, mas não reparámos logo um no outro. Lembro-me de passar por ti nos corredores, eras apenas uma das muitas pessoas por quem passava. Não me sorrias, nem eu a ti. Lembras-te do primeiro dia em que te vi? O primeiro dia em que realmente te vi. Terá coincidido com o dia em que me viste, pela primeira vez? Vês-me hoje como ninguém. Tenho saudades tuas, sabes? Poderia neste momento pegar num papel e numa caneta e transcrever tudo isto para te enviar. Hei-de fazê-lo, um dia. Pegar em papel de carta e na minha melhor caneta e escrever-te, escrever-te tudo aquilo que houver para escrever. Hei-de partilhar memórias contigo, enviá-las num envelope selado. Pedir-te a tua morada, sabendo onde moras. Só para te poder escrever uma carta, fechar o envelope, colocar-lhe o selo e deixá-la no marco do correio. Alguém, que não eu, colocá-la-à na tua caixa de correio. Sei que vais gostar de me ler, mesmo não sendo um fã da leitura. Gozas comigo quando te falo de livros, pedes-me que te conte e comparas as histórias a novelas mexicanas. E eu rio-me. Fazes-me rir e gabas-te disso. Gostas de dizer que não resisto. Eu gosto do teu sentido de humor, de todas as gargalhadas que damos juntos. Gosto, acima de tudo, que sejas o meu porto seguro. Saber que não vais a lugar algum, mesmo quando partes é ter-te sempre comigo, mesmo quando estás longe. É mesmo assim que devemos sentir-nos, certo? E se não for, azar. Eu sinto, e gosto disso. Quanto ao que somos agora, não preciso de te escrever sobre isso, pois não? Mas... sabes que mais? Gosto de ti. Gosto mesmo muito de ti, e isso é o que realmente importa. 


Beijinhos da tua, hoje e sempre, melhor amiga.
P.S.: Já te disse que gosto bastante de ti?

39 comentários:

Inês de Carvalho disse...

Deste, eu gostei e muito :)
(L) love you

o mesmo de sempre disse...

Oh não são nada *.* tudo o que eu comprei foi baratíssimo. Com descondos de 60 e 70% *.*

Anónimo disse...

Não te disse porque encontrei-o num blog de uma tua amiga, então achei q não havia problema..

Quanto ao texto, está muito giro, sentimental diria. Não posso deixar de comentar q não sei o q é ter um grande amigo como esse q tu tens, mas é muito bom mesmo ter alguém do nosso lado de q se gosta muito.

sararibeirodasilva disse...

Hm, será que estás a falar de um texto de seu título 'Eu amo-te, alguma vez to disse?' É que esse texto foi escrito a meias :)

Sim, é realmente muito bom ter alguém assim, de quem se gosta muito e que, gosta muito de nós. Não se encontram amigos assim todos os dias mas, verás que, a seu tempo, encontrarás alguém assim.

Já agora, posso saber a tua idade?

Anónimo disse...

Sim esse, estava a 'passear' pelo blog da tua amiga e lembrei-me q já tinha visto aqele texto algures..

Sempre me disseram q os nossos melhores amigos são os nossos pais, mas é claro q eles não duram para sempre não é, por isso também é bom ter um grande amigo de q se goste muito e nos apoie quando nós mais precisamos.

Podes sim, se eu souber a tua também :b

sararibeirodasilva disse...

Sim, foi escrito pelas duas, se reparares tem duas cores.

Quanto aos amigos, eles são a melhor coisa que se pode ter. Um amigo não substitui os pais, nem os pais substituem os nossos amigos. São tipos de amizade diferentes.

Claro que sim, mas já que sabes mais de mim que eu de ti, que tal me dizeres primeiro? Parece-me justo.

Anónimo disse...

Pois tem, reparei nisso há pouco.

Tens razão, uma não substitui a outra, mas não é fácil encontrar alguém mesmo nosso amigo, como esse q tu tens.

lol, tudo bem. Eu tenho 18 anos.

sararibeirodasilva disse...

Tens toda a razão, não é nada fácil encontrar alguém como ele. Mas às vezes está mesmo diante de nós e nem percebemos isso. Há poucos amigos verdadeiros, muito poucos os que não têm um interesse qualquer por detrás. Eu sei bem o que isso é, acredita.

Eu tenho 19!

Anónimo disse...

' muito poucos os que não têm um interesse qualquer por detrás. ' Nem mais, e pena são aqeles q são não conseguem ver isso, são enganados e não abrem os olhos. Abdicam de muita coisa por ele(a) e só se apercebem q não valeu apena depois de acabarem sozinhos.

Estás na universidade ?

sararibeirodasilva disse...

É verdade. Mas faz parte do processo de aprendizagem, mais cedo ou mais tarde apercebemo-nos de que verdadeiros não são os que dizem gosto muito de ti e esperam ouvi-lo a seguir. Verdadeiros são os que dizem gosto muito de ti, não porque esperam ouvir de volta, mas porque realmente o sentem. E sabem que o sentes, mesmo quando não o dizes. E isto é apenas um exemplo, há muito mais coisas que só quando encontramos alguém que sabemos que realmente é verdadeiro connosco, é que nos apercebemos de que nunca sentimos realmente isso.

Não, ainda não. Vou candidatar-me este ano. E tu?

Anónimo disse...

Exacto, vem de cá de dentro, as palavras são insignificantes se o q dizemos não é sentido cá dentro.

Eu, se te contar a minha situação tu não acreditas -.-
Eu estou à espera de um exame pra poder candidatar-me. Estás a pensar candidatar-te pra q universidade ?

sararibeirodasilva disse...

Só te apercebes disso quando realmente percebes que assim o é. Tens de passar por isso para perceberes. Faz tudo parte. Só quando passamos pelas coisas é que crescemos e tomamos consciência da realidade.

Eu estou à espera dos resultados que saem sexta para ver se consegui melhorar alguma coisa em relação ao ano passado. Estive um ano a fazer uma disciplina que deixei ficar para trás. Só depois de ver bem a média com que fiquei é que vou ver realmente a que posso candidatar-me. Mas estou a pensar em Ciências da Comunicação, ou algo relacionado com isso.

* disse...

Estamos sempre aprendendo, e assim éq vamos crescendo.

Também estou à espera, fiz o de FQ na 2ª e estou à espera de ver aprovado lá.
É complicado, chegamos a esta altura e depois se não tem média pra entrar na universidade, ficamos sem saber o q fazer da vida.
Eu gostava e entrar em Coimbra em Engenharia civil ou mecânica, vamos ver..

sararibeirodasilva disse...

Sim, é complicado.
Eu quero entrar em Lisboa, não quero nem me posso dar ao luxo de ir para longe.

* disse...

Olha q eu estou certamente mais longe q tu..
Mas gostava de ir pra lá porque tenho quem me ajude lá e não tem o q quero tirar cá.

sribeirodasilva disse...

Acredito que sim.
Mas ir para longe implica muita coisa. Eu quero ficar por cá ;p

* disse...

Sou de uma das Ilhas de Portugal, imagina lá..
Pois implica mas fazem com q sejamos obrigados e 'fugir' pra portugal continental por causa de tirar o curso q queremos, mas pronto é o q temos por cá e temos q comer com isto q não há melhor.

sribeirodasilva disse...

Mas nesse caso é quase que uma obrigação ir estudar para longe. No meu caso, é ver o que posso fazer com a média que tenho, os mais perto possível.

* disse...

Exacto, mas é complicado termos q deixar tudo o q construímos cá e entrar num mundo novo assim de repente.
No teu caso não deves ter assim muita dificuldade em escolher, preocupava-me mais era com a média para entrar no q mais gostasse.

sribeirodasilva disse...

Pois, o problema é que eu não fiz o meu secundário onde queria e por isso acabei por me desleixar um bocado nas notas. Não gostava daquilo e nunca me apliquei muito, é a verdade.

* disse...

Eu não me posso queixar do meu secundário, se tivesse ido para outro lado talvez tivesse mais problemas dos q já tenho agora.
Mas foi lá q conheceste o teu amigo, não foi ?

Tu deixaste q disciplina pra trás ?

sribeirodasilva disse...

Sim, foi mais ou menos. Só o conheci realmente quando já tinha terminado o secundário, tirando esta disciplina que deixei para trás. Mas nem tudo foram coisas más, em termos de formação, não era o que eu idealizava. E ele foi, sem dúvida alguma, o que de melhor me aconteceu naquela escola.

Matemática, eu sou mais letras :p

M. disse...

Que carta tão bonita *.* acho que ele ia gostar, e muito, de ler essas palavras

M. disse...

E muito obrigada pelo teu comentário no texto anterior :$

* disse...

Hmm, então já valeu a pena, nem tudo foi mau :)
As coisas não acontecem por acaso, vocês encontraram-se com um propósito :b

Já eu prefiro as matemáticas, mas ainda assim consegui deixar FQ pra trás quando podia muito bem tê-la aprovado -.-

sribeirodasilva disse...

Claro que não, mas não foram anos nada fáceis.
Eu tive de ficar um ano só com uma, é uma treta.

M. disse...

Ainda bem (: Mas acho que também era impossivel não gostar, quando escreveste coisas tão bonitas e cheias de sentimento

* disse...

Acredito, se não te sentias bem onde estavas é normal não ter sido fácil.
Pois é uma treta, mas a vida nem sempre nos corre como nós queremos.

Olha, estava a gostar da conversa mas não quero fazer do teu Blog um Chat, passo por aqui outra vez num próximo texto q postes por aqui :b

*

sribeirodasilva disse...

Ok então, até uma próxima ;p *

M. disse...

É por estar carregada de tanto sentimento que fica tão bonita :D

Sandra disse...

Adorei *.*

Emoções, sentimentos, amor, só coisas boas retratadas neste texto +.+

André Santos disse...

E eu tenho raiva de saber isso, saber que estou limitado na minha escrita..
Óh, és uma querida, mas de certeza que és capaz de escrever asneiras melhores que as minhas nesses momentos (:

nicas disse...

oh, gosto muito :)
obrigado pelo comentário *

Vera disse...

Qualquer pessoa gostaria de receber uma carta dessas, cheia de sentimento. É bom ter amizades assim :)

Manusca (L)

inês disse...

espero bem que sim :)
obrigada pelo comentário!

o mesmo de sempre disse...

É mesmo a melhor coisa que nos podem dar sim *.*

ti em mim disse...

muito obrigado (:

Alexandra Santos disse...

Qe texto tao Lindoo *_*

M. disse...

O "problema" é que aquilo não passa de um grande desejo, estamos longe de alguém virmos a ser assim.
Mas é mesmo isso que disseste, não podemos sufocar a outra pessoas, temos de respeitar o seu espaço. Para manter uma relação, fazer com que ela funcione, não é necessário estarmos sempre um com o outro, há tempo para tudo, há mais pessoas na nossa vida. É claro que há sempre momentos e momentos, mas temos de saber dosear